Lentes da Memória: A vida e obra de Alberto de Sampaio

Alberto de Sampaio foi um advogado e fotógrafo amador que viveu nas cidades do Rio de Janeiro e Petrópolis. Nascido em 1870 tinha como hobbies a poesia, a pintura e a fotografia, paixão que exerceu até o fim da vida. As suas fotografias imortalizaram a Belle Époque no Brasil e retratam aspectos únicos do Rio de Janeiro e de Petrópolis.

A partir de 1999 o acervo de mais de 2.500 imagens, revistas, jornais, cartas, câmeras fotográficas e negativos de Alberto foi redescoberto e iniciou-se um processo de recuperação e documentação.

As fotos de Alberto de Sampaio foram expostas em três eventos. Um em Cubatão no Parque Novo Anilinas, outra no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo e no Centro Cultural dos Correios no Rio de Janeiro.

Exposição de Alberto de Sampaio no Instituto Tomie Ohtake

O Instituto Tomie Ohtake sediou a primeira mostra do acervo de Alberto de Sampaio (Rio de Janeiro, 1870), em outubro/novembro de 2015, com a exposição “Lentes da Memória: a descoberta da fotografia de Alberto de Sampaio, 1888-1930″. Um dos pioneiros entre os fotógrafos amadores no Brasil, e entusiasta das imagens, este advogado de ofício começou a exercer sua paixão no final do século XIX, no Rio de Janeiro, e por mais de quarenta anos registrou a natureza e o urbano, criando uma memória visual única da capital fluminense.

A mostra teve concepção e curadoria de Adriana Martins Pereira, arquiteta e historiadora que descobriu o acervo e reorganizou os materiais por meio de uma extensa pesquisa acadêmica realizada nas mais importantes universidades brasileiras. Parte desse material foi apresentado em três núcleos que traziam 120 registros fotográficos, além de objetos pessoais, raríssimos materiais de laboratório fotográfico usados por Sampaio e projeções de filmes rodados em 16mm pelo amador. São imagens que narram de forma singular a memória de um homem comum e seu encontro com eventos cruciais para a história do Brasil. A exposição também foi planejada especialmente para atender às pessoas com deficiência visual, disponibilizando diversos recursos como maquetes táteis e audiodescrição gravada, tendo ainda a presença de um monitor audiodescritor que estava preparado para receber esse público.

Exposição Lentes da Memória de Alberto de Sampaio

Exposição Lentes da Memória no Instituto Thomie Ohtake (SP)

Parque Novo Anilinas

A exposição de Alberto de Sampaio, um dos pioneiros entre os fotógrafos amadores no Brasil, chegou a Cubatão no Parque Novo Anilinas no dia 22 de outubro de 2016. A mostra “Lentes da Memória: a Árvore da Vida nas fotografias de Alberto de Sampaio (1888-1930)” apresentou uma proposta diferente da que ficou em cartaz em São Paulo, pois seu foco eram imagens com temática da natureza.

Com concepção e curadoria de Adriana Maria Martins Pereira, a exposição apresentou fotografias que são o retrato das transformações de uma época, além de raros registros da natureza da mata atlântica nos primeiros anos do século XX. Alberto de Sampaio, um apaixonado fotógrafo amador, se dedicou às imagens de seu cotidiano familiar e esteve atento à paisagem natural, fazendo das árvores um símbolo da renovação de sua própria fotografia.

Exposição Lentes da Memória de Alberto de Sampaio

Exposição Lentes da Memória em Cubatão (SP)

Exposição de Alberto de Sampaio no Centro Cultural dos Correios

O Centro Cultural Correios sediou a mostra do acervo de Alberto de Sampaio (Rio de Janeiro, 1870), de setembro a dezembro de 2016, com a exposição “Lentes da Memória: a descoberta da fotografia de Alberto de Sampaio, 1888-1930″. Um dos pioneiros entre os fotógrafos amadores no Brasil, e entusiasta das imagens, este advogado de ofício começou a exercer sua paixão no final do século XIX, no Rio de Janeiro, e por mais de quarenta anos registrou a natureza e o urbano, criando uma memória visual única da capital fluminense.

A mostra teve concepção e curadoria de Adriana Martins Pereira, arquiteta e historiadora que descobriu o acervo e reorganizou os materiais por meio de uma extensa pesquisa acadêmica realizada nas mais importantes universidades brasileiras. Parte desse material foi apresentado em três núcleos que traziam 130 registros fotográficos, além de objetos pessoais, raríssimos materiais de laboratório fotográfico usados por Sampaio e projeções de filmes rodados em 16mm pelo amador. São imagens que narram de forma singular a memória de um homem comum e seu encontro com eventos cruciais para a história do Brasil. A exposição também foi planejada especialmente para atender às pessoas com deficiência visual, disponibilizando diversos recursos como maquetes táteis e audiodescrição gravada, tendo ainda a presença de um monitor audiodescritor que estava preparado para receber esse público.

Exposição Lentes da Memória no Centro Cultural dos Correios (RJ)

Exposição Lentes da Memória no Centro Cultural dos Correios (RJ)

o Centro Cultural dos Correios também foi lançado o livro “Lentes da Memória: a descoberta da fotografia de Alberto de Sampaio, 1888-1930″ de Adriana Martins Pereira (Editora Bazar do Tempo), com vários retratos notáveis feitos pelo fotógrafo. O livro trata do movimento amador, na fotografia e no cinema, na cidade do Rio de Janeiro, através de um extenso levantamento de dados e nomes dos pioneiros que fundaram clubes e sociedades desde fins do século XIX na então capital do país – dentre eles, Alberto de Sampaio. Considerando elementos que integravam a cultura visual daquela época, essa abordagem traz para o foco homens comuns e desconhecidos, mas que foram ativos no posterior desenvolvimento e expansão de nossa fotografia e cinema. O livro está disponível para compra em livrarias de São Paulo e Rio de Janeiro.

Livro Lentes da Memória lançado no Centro Cultural Correios em 2016

Livro Lentes da Memória lançado no Centro Cultural Correios em 2016