Vida de Cão: Elliott Erwitt ganha exposição no Centro Cultural da Fiesp

© Elliott Erwitt/Magnum Photos

Uma mostra com 50 fotografias de momentos bem-humorados envolvendo cachorros, clicados por Elliot Erwitt, está exposta no Centro Cultural da Fiesp, localizado em São Paulo. “Vida de Cão” traz cenas inusitadas de cachorros, seus donos ou pessoas que interagem com eles nos espaços urbanos. O fotojornalista, nascido na França em 1928, é filho de russos e viveu na Itália até os 11 anos. Ele ganhou sua primeira câmera fotográfica após se mudar para os Estados Unidos, e lá se tornou fotógrafo profissional em 1950.  Inicialmente, Elliot trabalhava para o exército norte-americano e, depois, para a revista Life. Ao conhecer Robert Capa, Elliott Erwitt foi convidado para fazer parte da equipe da Magnum Photos, a icônica agência que ele presidiu no final da década de 1960. Elliott Erwitt também realizou documentários, atuando como fotógrafo ou diretor. Pela sua extensa e vibrante produção fotográfica, é considerado um dos mais importantes fotógrafos que...

Leia mais

Exposição Artesiana Fotográfica no BNDES

© Processo fotográfico desenvolvido por Fox Talbot, o calótipo, com papel fino sensibilizado em sais de iodeto / Ricardo Hantzschel

O Espaço Cultural do BNDES, no Rio de Janeiro, recebe entre os dias 2 de agosto e 22 de setembro a exposição Artesiana Fotográfica, com curadoria de Marcia Mello. O evento apresenta o resultado da pesquisa de sete fotógrafos contemporâneos brasileiros, que utilizaram processos alternativos para a produção de suas imagens. São técnicas antigas, usadas de 1839 até o início do século XX como daguerreotipia, ambrotipia, platinotipia, cianotipia, albumina e calótipo. Essas técnicas, ao serem revisitadas, podem trazer elementos diversos para a produção de imagens na atual era digital. Os trabalhos apresentados revelam o olhar atento dos fotógrafos: Francisco Moreira da Costa, Cris Bierrenbach, Roger Sassaki, Ailton Silva, Mauro Fainguelernt, Ricardo Hantzchel e Tiago Moraes. O evento ocorre no espaço BNDES que fica na Avenida Chile 100, Centro do Rio de Janeiro, de segunda à sexta, das 10h às 19h, com entrada gratuita. Fontes: Automática – Produto de Arte Contemporânea, O Globo...

Leia mais

Lewis Carroll: matemático, escritor e fotógrafo amador

© H. H. Dodgson e sua família, sem data, Lewis Carroll / Princeton University Library

Charles Lutwidge Dodgson (1832-1898) ou Lewis Carroll, seu pseudônimo como escritor, tem uma história curiosa que passa pela exatidão da matemática, até o lúdico das fotografias. Isso porque, o britânico nascido em Cheshire, se dedicou ao ensino na Christ Church da Oxford University, e parte desse período, usava seu talento para tirar fotos. Mesmo sendo professor, Carroll também era reverendo da igreja anglicana e teve outros interesses em sua vida profissional. Mas foi sua atividade como escritor do clássico que ganhou o mundo, “Alice no País das Maravilhas”, que o tornou célebre. O que poucos sabem, é de onde surgiu a inspiração para criar tamanha obra. Foi na fotografia que Carroll canalizou grande parte do seu entusiasmo criador. Ele fotografava paisagens, animais, esqueletos (em cenas com certa comicidade) e também muitas crianças, compondo o cenário para tais imagens. Sociedades de fotografia se espalhavam pela Inglaterra nesse momento e muitos amadores...

Leia mais

Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte

© Abertura da exposição do FIF Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte / Gustavo Baxter

A capital de Minas Gerais abre as portas para mais um grande evento, o Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte (FIF-BH). O evento Bienal está na terceira edição e tem como objetivo transformar BH num polo de convergência para discussão e reflexão sobre a produção fotográfica, inserida nos debates que tratam das imagens na contemporaneidade. Os atrativos não ficam apenas nas exposições. Há também palestras, workshops, leituras de portfólios, apresentação de artigos acadêmicos, projeções em espaços públicos e muito mais. O evento já recebeu Vladimir Safatle, Nego Bispo e Heloisa Starling em mesas de debates e traz fotógrafos renomados como Daniel Moreira, Luiz Rodrigo Cerqueira, Betho Freitas, entre outros. O FIF-BH começou no dia 22 de julho e fica em cartaz até 04 de setembro com entrada gratuita em vários locais da cidade: Parque Municipal Renné Américo Giannetti terça à domingo, 6h às...

Leia mais

Josef Sudek: Fotógrafo e combatente de guerra

© Autorretrato de Josef Sudek, sem data, Josef Sudek / Centro de Fotografia da ESPM

No Leste Europeu, se você perguntar quem é Josef Sudek, dificilmente alguém deixará de responder. Ele foi um dos principais fotógrafos de Praga depois do final da Primeira Guerra Mundial até falecer em 1976. Nascido em 1896 na região da Bohemia, atual República Tcheca, Sudek lutou em 1910 no front de batalha italiano do exército austro-húngaro, e tal vivência custou a amputação de um dos seus braços. Depois do acidente, Sudek retornou à Praga e começou a receber uma pensão do governo, o que facilitou sua participação ativa na vida cultural da cidade e o início de seus estudos de fotografia. Josef Sudek registrou muitas de suas imagens com câmeras de grande formato em Praga, onde ficava sua casa estúdio, e paisagens de outras áreas da Bohemia. Ele foi um dos fotógrafos mais atuantes de sua época e chegou também a fundar a Sociedade Fotográfica Checa em 1924. Além de...

Leia mais

Fotos esquecidas: conheça a Inglaterra do século XIX

© Mulheres conversando fora das caravanas, c. 1880, Newcastle, Inglaterra. Fotógrafo desconhecido / Daily Mail

O arquivista do Mining Institute de Newcastle, Aaron Guy, descobriu uma coleção de 300 negativos de vidro em uma caixa que há muito tempo não havia sido aberta. Isso ocorreu em 2012, mas as fotos eram do século XIX. Tudo aconteceu quando ele estava movendo alguns móveis num antigo edifício ocupado pela Sociedade de Antiquários. Ali um recipiente chamou sua atenção. Após identificar que se tratava de algumas fotos antigas, ele pediu permissão para levar a caixa com os negativos e revelar as imagens. O resultado surpreendeu a todos. Eram fotografias que traziam muitos registros urbanos da década de 1880 da cidade de Newcastle e seus arredores. Naquele momento, Newcastle estava um período de grande prosperidade com o avanço da indústria. Foi também nessa cidade que o farmacêutico e industrial Joseph Swan desenvolveu um método para produzir as placas secas, como eram chamados os negativos de vidro que haviam sido...

Leia mais

Fotografias com mais de 100 anos de idade são encontradas na Antártida

© Cientista chefe da expedição Alexander Stevens, c. 1914-1917, Fotógrafo desconhecido / Imaging Resource

Não é de hoje que fotografias são encontradas perdidas em algumas partes do mundo. Recentemente a história de Vivian Maier, babá e fotógrafa norte americana, ganhou as manchetes dos jornais. Porém, muitos outros acervos têm sido reencontrados e, por vezes, as histórias são impressionantes.  Em 2013, foram achados 22 negativos de nitrato de celulose, provavelmente realizados entre 1914 e 1917, durante a expedição na Antártida com o “Grupo do Mar de Ross”. Os negativos estavam numa lata, dentro de uma cabana utilizada pelos membros da expedição. As baixas temperaturas permitiram que esses filmes, nunca revelados, fossem preservados por cerca de 100 anos. Essa foi uma parte da expedição rumo ao polo sul liderada por Ernest Shakleton. Dois grupos haviam saído de pontos opostos, partindo em direção à Antártida. Um dos grupos saiu da Austrália, no navio SY Aurora. Mas ocorreram problemas com o navio: ele ficou à deriva deixando parte...

Leia mais

FotoRio 2017: “Às portas do Benim” de Jean-Jacques Moles

© Mulheres no Benim, Foto de Jean-Jacques Moles, sem data/Divulgação

O Centro Cultural da Justiça Federal está recebendo o evento FotoRio 2017 e você tem a oportunidade de conhecer o trabalho de Jean-Jacques Moles com a exposição “Às portas do Benim” que retrata o cotidiano de pessoas que vivem num país cercado por questões heterogêneas. O Benim foi colonizado por portugueses e franceses, e dali saíram muitos escravos rumo ao Brasil e Caribe, um comércio que teve longa duração. Mas no século XIX, em meio à colonização francesa, um fenômeno inverso iria ocorrer: retornaram ao Benim mercadores de escravos e muitos ex-escravos recém-libertos em nosso país, os chamados “agudás”, que ainda hoje mantém costumes e tradições trazidas do Brasil. Em meio a tantas influências, o Benim hoje vive os problemas pós colonização (em 1960 tornou-se independente) e de violência religiosa em países vizinhos como a Nigéria e Burkina-Faso. Nesse país pouco conhecido, mas que também carrega parte da história brasileira,...

Leia mais

Museu Histórico Nacional traz registros de grandes fotógrafos do mundo

© Vik Muniz, foto de Zhong Weixing / Divulgação

Há dois anos atrás o fotógrafo e colecionador chinês Zhong Weixing começou a retratar grandes nomes da fotografia, o que resultou na exposição “Face to Face – Retratos de mestres da fotografia contemporânea” que está no Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro. Com curadoria de Jean-Luc Monterosso e Milton Guran, a mostra traz retratos de fotógrafos brasileiros como Sebastião Salgado, Miguel Rio Branco e Vik Muniz, além de fotógrafos estrangeiros como Robert Frank, Bernard Plossu, Duane Michals, Cristina de Middel, Martin Parr e William Klein. No total são 36 fotógrafos captados pelas lentes de Zhong. A inspiração para essa mostra vem do ano de 1851 com o fotógrafo francês Félix Nadar. A ideia de Nadar era registrar personagens conhecidos da época, o que incluía jornalistas e escritores. O projeto não foi concluído, mas as 250 imagens realizadas por ele são hoje documentos para a história francesa e mundial. Com...

Leia mais

Arturo Cerdá y Rico: Fotógrafo amador e médico espanhol

O espanhol Arturo Cerdá y Rico (1844-1921) foi um fotógrafo espanhol que exerceu a fotografia como atividade amadora, num período em que câmeras e laboratórios faziam parte das casas desses aficionados. Eles se autodenominavam amadores porque exerciam a atividade apenas como um hobby, embora esse passatempo agregasse homens que também se distinguiam socialmente por meio da fotografia. Dominando técnicas complexas tal como um profissional da área, como era o caso de Alberto de Sampaio no Brasil, esses amadores deixaram importantes legados para a história da fotografia. Cerdá viveu nesse contexto, em que amadores integravam clubes e publicavam suas imagens em revistas ilustradas. Ele era médico, nasceu em Monóvar em 1844 e depois do casamento se mudou para a pequena cidade Cabra del Santo Cristo, local extensamente registrado por suas lentes. Cerdá pertencia à uma família com alto poder aquisitivo e após os 50 anos de idade, se dedicou apenas à...

Leia mais